terça-feira, 26 de outubro de 2010

Once upon a time

No dia 2 de outubro de 1990, num café de Seattle, uma banda chamada Mookie Blaylock fazia seu primeiro show. No set list, oito músicas, das quais cinco fariam parte, um ano mais tarde, de um certo disco chamado Ten. Menos de um mês depois da estreia, o grupo decidiu mudar de nome, virando Pearl Jam.


O resto da história muita gente já conhece: nove álbuns de estúdio, uma coletânea de lados B, outra de grandes sucessos, um acústico e incontáveis discos ao vivo foram lançados, muitos milhões de cópias foram vendidas ao redor do globo, e fãs completamente apaixonados foram conquistados.

Eu sou uma. Pearl Jam é a trilha sonora da minha vida. São as palavras que eu preciso escutar quando tudo está ruim e os sons que me fazem dançar quando tudo está bem. Graças a eles eu ganhei amigos. Ao som de suas músicas eu já viajei, estudei, conversei, namorei, chorei, bebi, dei risada, dormi e até pari. Pra cada momento importante que minha memória revisita, há ao fundo uma canção do Pearl Jam tocando.

Eu não estava lá no Off Ramp há 20 anos. Na verdade, eu os conheci em 1992, mais precisamente no dia 31 de dezembro. Passei o último dia do ano vendo a retrospectiva da MTV e conhecendo muita coisa boa. E lembro claramente do encantamento ao ver aquele cabeludo de bermuda mandando apagarem as luzes do teatro, pois aquilo era um show de rock, e não um estúdio de TV. Em seguida, o orgasmo sonoro de Even Flow tomando conta de mim. PEARL JAM dizia o crédito, no canto inferior esquerdo da tela. No mesmo dia, mais tarde, vi Jeremy. E assim eu iniciei 1993 já apaixonada por Eddie, Jeff, Stone, Mike e Dave.

Por isso tudo eu não poderia comemorar menos esse aniversário. Afinal, são duas décadas fazendo da vida uma tarefa mais fácil a se cumprir, e deste mundo um lugar muito melhor. 


Don't it make you smile?

Um comentário:

Aline disse...

nao poderia ter feito descriçao melhor.
e cada vez eu penso q quem nao gosta de PJ, bom sujeito nao é.

beijo Ju!