terça-feira, 4 de maio de 2010

O mesmo palco, um outro espetáculo.

Em dezembro de 1995, o Santos viveu duas grandes emoções no estádio do Pacaembu. No prazo de uma semana, viu um dos mais belos jogos de sua história e também uma das maiores injustiças. O time de Giovanni, Jamelli, Edinho, Robert, Camanducaia, Marcelo Passos, Vagner, Macedo, Marcos Adriano, Ronaldo Marconato, Narciso, Marquinhos Capixaba, Pintado, Galo, Carlinhos (ufa, esqueci de alguém?), e do técnico Cabralzinho, jogou um lindo futebol, lutou e fez o seu trabalho para ser Campeão Brasileiro daquele ano. Deu um verdadeiro espetáculo na semifinal, levando ao pé da letra a canção "Santos, o time da virada! Santos o time do amor!".



Na final, contra o Botafogo, devido a vários "erros" do árbitro Marcio Rezende de Freitas, o grito de "É Campeão" ficou engasgado. Nós, torcedoes, choramos doloridas lágrimas naquele fatídico domingo, e durante muito tempo depois. A equipe, como era de se esperar, se desmanchou, e o Santos só foi reencontrar forças pra ocupar o lugar de grande time que sempre foi com a geração de 2002.

Quem viveu a época certamente guardou no coração um carinho especial por aquele elenco. Não à toa o craque Giovanni voltou ao time em 2005, e agora em 2010. Mas este ano, não só o nosso Messias representou a geração de 95. Edinho, então goleiro, é agora treinador do menino Felipe, que tem feito um lindo trabalho no gol. Além disso, a nova diretoria também trouxe de volta o Jamelli, camisa 9 que brilhou ao lado do Giovanni, mas dessa vez como gerente de futebol.

Una-se a experiência deles ao vigor da garotada, tendo como base o grande talento das distintas gerações, além do prazer de defender o Peixe, e o resultado não poderia ser outro: Santos Campeão Paulista de 2010! E muito mais do que o título, a torcida santista teve como recompensa o espetáculo do Santos em campo ao longo desse começo de ano. Além disso, pudemos testemunhar um momento esperado há quase 15 anos:





Giovanni, Jamelli e Edinho, representando todo o elenco de 1995, puderam finalmente dar a volta no Pacaembu e gritar "É Campeão!" com a torcida que nunca os esqueceu. Muita alegria, muito amor, e uma sensação de alma lavada que não tem preço.

Valeu a pena esperar.

"Nascer, viver, e no Santos morrer é um orgulho que nem todos podem ter!"

Nenhum comentário: